POTENCIAL DE REUSO NA AGRICULTURA DA ÁGUA RESIDUÁRIA DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO LIMOEIRO

Tahise da Silva Neiva

Resumo


O crescimento das cidades, paralelo ao aumento populacional, requer uma maiordemanda de água para as atividades humanas, cujo uso traz como conseqüência a geração deesgotos sanitários, que muitas vezes são lançados nos corpos d’água sem nenhum tratamento,ou com tratamento parcial, podendo resultar em inúmeros impactos para o meio ambiente. Autilização de águas residuárias tratadas na agricultura fornece, ao solo e aos vegetais, água,nutrientes e matéria orgânica, que conservam o solo e agem como fertilizantes orgânicos,além de contribuir para preservação dos recursos hídricos. Assim, o objetivo deste trabalho foiavaliar, com base na legislação vigente, as características físico-químicas e microbiológicasdo esgoto sanitário efluente da Estação de Tratamento de Esgoto Limoeiro (ETEL) (Bacia doSubaé), Feira de Santana - BA, em relação ao seu uso potencial na agricultura. Para odiagnóstico da qualidade do esgoto tratado da ETEL, foram realizadas análises físicoquímicase microbiológicas das amostras coletadas de quatro pontos distintos: EsgotoAfluente (esgoto bruto), saída do DAFA, saída da Lagoa Aerada e Esgoto Efluente (com esem filtração) da Lagoa Maturação, seguindo os critérios descritos no Standard Methods forthe Examination of Water and Wastewater 2Cfh Edition (APHA/AWWA/WEF, 1998). Diantedos resultados obtidos, pode-se concluir que o efluente final da ETEL pode ser utilizado nairrigação, segundo recomendações de Ayers e Westcot (1994), da ENVIRONMENTALPROTECTION AGENCY - EPA (2004), da Resolução CONAMA n° 357/2005 (BRASIL,2005b), do U.S. Salinity Laboratory Staff (BERNARDO; SOARES; MANTOVANI, 2006),da World Health Organization - WHO (2006), do Israel Ministery of the Environment - News(2010) e da CETESB (NIETO, 2011) com ajustes na remoção do nitrogênio amoniacal e parairrigação de culturas adaptadas à salinidade alta.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17565/gesta.v2i2.12798

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X