TRATAMENTO FISICO-QUÍMICO DO LDOVIADO DO ATERRO DE FEIRA DE SANTANA-BAHIA

Cleia Pereira de Souza

Resumo


Como qualquer cidade de grande porte, Feira de Santana depara-se com a difícil tarefa deencontrar soluções eficientes e economicamente viáveis para o tratamento do lixiviado gerado noaterro sanitário. O objetivo geral desse estudo foi tratar esse efluente por meio da coagulação,floculação, decantação e filtração, utilizando os coagulantes: sulfato de alumínio, hidroxicloretode alumínio e cloreto férrico. Para atingir este objetivo, os ensaios contaram inicialmente com acaracterização físico-química do efluente gerado no aterro do Município e com uso de reatoresestáticos, foram determinadas experimentalmente as condições ótimas de pH e dosagem doscoagulantes. As características do lixiviado, verificadas inicialmente mostram que o mesmoencontra-se maduro, em fase metanogênica, com uma baixa taxa de biodegradabiidade. Osresultados dos tratamentos foram avaliados para as maiores eficiências na redução de cor eturbidez. Os ensaios realizados mostraram que os coagulantes são mais efetivos para remoção decor e turbidez em pH baixos. Os melhores resultados com sulfato de alumínio foram obtidos empH 5,3 e dosagem de 3.900mg/L, equivalente a 620mg de Al3+ /L, resultando em 85,6% deremoção de turbidez, 87,6% de cor e 68,0% da DQO e produção de 463 mL/L de lodo. O cloretoférrico apresentou melhores resultados em pH 4,2 e uma dosagem de 1557mg/L (320mg de Fe3+/L), com 87,6% de remoção de turbidez, 87,5% de cor, 70,7% de DQO e uma média de produçãode lodo de 450 mL/L. O policloreto de alumínio, com uma dosagem de 20mL/L em pH 6,5,resultou em reduções de 94,8% de turbidez, 98,8% da cor e 62% de DQO, apresentando maioreficiência, estatisticamente comprovada em termos de remoção de turbidez e cor. Paracomplementação dos estudos de otimização dos tratamentos, os ensaios contaram com averificação da influência da velocidade de floculação no processo e as condições de pH para usode polímeros aniônico e catiônico. Os resultados dos ensaios indicam que os polímeros emconjunto com o sulfato de alumínio e o cloreto férrico, reduzem o volume de lodo, aumentam avelocidade de decantação dos flocos e o polímero catiônico em conjunto com sulfato de alumínioé capaz de reduzir a cor. Nos ensaios com o policloreto de alumínio, os polímeros nãomelhoraram o tratamento, mas conclui-se que são necessários estudos com estes auxiliares defloculação, sendo possível afirmar que tratamento por coagulação e floculação e o uso depolímeros é uma alternativa promissora para pré-tratamento do lixiviado de Feira de Santana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17565/gesta.v2i2.12794

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X