VALORIZAÇÃO DOS RESÍDUOS DE SISAL: UMA PROPOSTA PARA A REGIÃO DO SEMIARIDO DO ESTADO DA BAHIA

Antonivalda Tosta Dias

Resumo


O presente estudo tem como objetivo apresentar uma proposta para a valorizaçãodos resíduos de sisal que reduza e/ou elimine o passivo ambiental existente naRegião Sisaleira da Bahia. Este trabalho foi desenvolvido em duas etapas. Naprimeira etapa, foi feito um diagnóstico visual dos problemas fitossanitáriosassociados ao beneficiamento do sisal na Comunidade Rose do município deSantaluz, complementado com análise das propriedades químicas dos solos(arenoso e argiloso) em seis unidades produtivas, onde foram avaliados locaiscom ou sem o resíduo do sisal nas profundidades de 0 - 20cm e 20 - 40cm. Nasegunda etapa, foi montado um experimento de compostagem na UniversidadeEstadual de Feira de Santana, com os seguintes tratamentos: T! - resíduo desisal, T2 - resíduo de sisal + poda de árvores + urina humana + esterco de cabra,T3 - resíduo de sisal + poda de árvores + esterco de cabra e T4 - resíduo de sisal+ poda de árvores + urina humana + esterco de cabra. Estes resíduos foramdispostos em camadas de 20cm, exceto o tratamento T4, em que a matéria primafoi homogeneizada antes da montagem das pilhas. Foram avaliados osparâmetros físicos e químicos do composto formado. Os resultados encontradosna primeira etapa demonstram que não existe um local definitivo para odesfibramento do sisal que é descartado no campo, ocupando áreas antesprodutivas por mais de dois anos, tempo necessário para sua degradação. Oresíduo é um meio adequado para produção de moscas. O solo, por sua vez, érico em matéria orgânica, entretanto, o teor de nutrientes foi muito maior no localcom a presença do resíduo de sisal. O composto orgânico em todos ostratamentos apresentou teores de nutrientes e metais pesados de acordo com osvalores pré-estabelecidos pelo MAPA, com exceção do nitrogênio que ficouabaixo do exigido. É possível obter um composto orgânico de boa qualidade apartir da mistura de resíduos de sisal com outros componentes encontrados naprópria propriedade e observou-se que 90 dias foram suficientes para a obtençãodo composto orgânico a partir do resíduo de sisal. A mistura prévia da matériaprima das fibras favoreceu o processo de compostagem do resíduo de sisal. Osresíduos quando segregados na fonte de origem, contribuem para obtenção decomposto orgânico com baixos teores de metais pesados.

Texto completo:

Sem título () PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17565/gesta.v2i2.12787

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X