A recente metropolização em Santa Catarina: processo geográfico-territorial ou apenas um limite político-administrativo?

Wendel Henrique

Resumo


Em Santa Catarina, a partir da regulamentação da Constituição de 1988, foram criadas 06 Regiões Metropolitanas, configurando-se numa tentativa de modernização da estrutura urbana do Estado. Buscando compreender este processo recente de metropolização imposta pela legislação estadual, elaboramos um diagnóstico do processo de metropolização de Florianópolis, com destaque para o grau de integração e as estruturas urbanas nos municípios que compõem a aglomeração central (Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu), bem como as dificuldades encontradas na implementação efetiva de uma Região Metropolitana em Santa Catarina. Utilizamos dados censitários referentes aos municípios de 1991 e 2000 e do Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil. O caso da Grande Florianópolis mostra que em Santa Catarina existe uma falta de clareza conceitual na definição do que é uma Região Metropolitana e também uma complexa e pouco operacional justaposição de divisões territoriais regionais. Classificamos Florianópolis dentro de um forte processo de conurbação entre os municípios e medianamente funcional (caracterizado pela concentração de funções em Florianópolis, que ainda é dependente de Curitiba ou Porto Alegre). A institucionalização da Região Metropolitana de Florianópolis, assim como as outras cinco criadas no Estado de Santa Catarina, esteve baseada em critérios políticos e não em definições geográficas.

Abstract

THE RECENT METROPOLIZATION IN SANTA CATARINA: IS IT A GEOGRAPHICATERRITORIAL PROCESS OR A POLITICIAN-ADMINISTRATIVE LIMIT?

In Santa Catarina State (South Brazil), after Brazilian Constitution, 06 Metropolitan Regions had been created trying to improve urban and regional structure in a ideological and unreal modernization. We elaborate a diagnosis of the metropolitan process, integration degree and urban structures of Greater Florianópolis and it‘s central agglomeration (Florianópolis, São Jose, Palhoça and Biguaçu), as well as the difficulties to implement a Metropolitan Region in Santa Catarina State. We use, for this purpose, statistics of the cities from 1991 and 2000 and the Atlas of Human Development in Brazil. The Greater Florianópolis illustrates that in Santa Catarina exists a lack of conceptual definition and a complex juxtaposition of regional divisions, overlapping some laws. The Greater Florianópolis has a strong physical process of conurbation and a medium functional integration (Florianópolis is dependent of Curitiba and Porto Alegre). We verify that the institutionalization of the Metropolitan Region of Florianópolis, as well the other five in the Santa Catarina State, was based on political criteria and not in geographical definitions.

Palavras-chave


Metropolização; Grande Florianópolis; Geografia Urbana / Metropolitan Region; Greater Florianópolis; Urban Geography

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1984-5537geo.v3i0.3045

    

Indexadores:
        

        
 

GeoTextos.
ISSN eletrônico: 1984-5537
ISSN impresso: 1809-189X