A CASAMENTEIRA E O ARTISTA: POR OUTRAS REPRESENTAÇÕES DE GÊNERO NO SERTÃO

Vânia Nara P Pereira Vasconcelos, Cláudia Pereira Vasconcelos

Resumo


Considerando as persistentes representações de masculinidades e feminilidades no sertão que associam o masculino à virilidade, a força e a violência, representado na figura do “cabra macho” e o feminino à submissão, a seriedade e a deserotização, o presente artigo visa, a partir dos processos de subjetivação presentes nas trajetórias de Dona Farailda e do Senhor José Carvalho, suscitar possíveis releituras sobre este território/ideia e suas personagens. Para além de serem oriundos de pequenas cidades do sertão da Bahia, esses sujeitos romperam o cerco das definições binárias de gênero ao afirmarem seus desejos e inventarem formas próprias de ser e de viver, ao tempo em que negociaram com regras normativas e discursivas do espaço e tempo em que viveram.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.