A CONSTRUÇÃO DAS IMAGENS PÚBLICAS DE DILMA ROUSSEFF E MICHEL TEMER NAS REVISTAS SEMANAIS

Elizabeth Christina de Andrade Lima

Resumo


O artigo busca analisar a construção das imagens públicas da ex-Presidenta, Dilma Rousseff e do ex-Presidente Michel Temer nas revistas semanais, Veja, Época, IstoÉ e Carta Capital, no período de 02 dezembro de 2015 a 30 de outubro de 2017, período no qual foi aberto, pelo então presidente da Câmara de Deputados, o Processo de Impeachment,no qual Dilma respondeu pelo crime de responsabilidade, culminando em seu afastamento definitivo da presidência, o governo interino e os dez primeiros meses de governo de seu vice, Temer. O nosso intento é analisar os discursos construídos pelas revistas a partir de um recorte de relações de gênero. Concluímos que não lidamos com uma simples disputa de espaços de poder no campo político, mas por um processo atravessado por uma clivagem de gênero, marcadamente qualificada para construir positivamente a imagem de Temer, até o seu primeiro ano de governo e desconstruir negativamente a imagem da Presidenta Dilma

 


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Clara. Incongruências e dubiedades, deslegitimação e legitimação: o golpe contra Dilma Rousseff. In: RUBIM, Linda & ARGOLO, Fernanda (org.) O Golpe na perspectiva de Gênero. Salvador, Edufba, 2018.

BAPTISTA, Íria Catarina Queiróz; ABREU, Karen Cristina Kraemer. A história das revistas no Brasil: um olhar sobre o segmentado mercado editorial, 2010. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/baptista-iria-abreu-karen-a-historia-das-revistas-no-brasil.pdf.

BERTASSO, Daiane. Ethos discursivo e jornalismo de revista: as imagens de si de Veja, Época, IstoÉ e CartaCapital por meio de suas capas. Interin. Curitiba, v. 19. n.1. p. 103-119, jan./jul. 2015.

BIROLI, Flávia. Uma mulher foi deposta: sexismo, misoginia e violência política. In: RUBIM, Linda & ARGOLO, Fernanda (org.) O Golpe na perspectiva de Gênero. Salvador, Edufba, 2018.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. São Paulo, Contexto, 2006.

CRESTANI NETO, Milena. As estratégias jornalísticas para despertar o interesse e manter a atualidade nas capas de revistas semanais de informação – uma análise semiótica. 2014. 137f. Dissertação (Mestrado em Comunicação). Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande.

GOMES, Wilson. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo, Paulus, 2004.

MAINGUENEAU, Dominique. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

PELLEGRINO, Antonia. Política Representativa. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de. Explosão Feminista. Arte, Cultura, Política e Universidade. São Paulo, Companhia das Letras, 2018.

PINTO, Céli Regina Jardim. Dilma – uma mulher política. In: RUBIM, Linda & ARGOLO, Fernanda (org.) O Golpe na perspectiva de Gênero. Salvador, Edufba, 2018.

ROSSI. Clóvis. O que é jornalismo. Editora Brasiliense, 1980. (Coleção primeiros passos).

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Sobre o Autoritarismo Brasileiro. São Paulo, Companhia das Letras, 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.