A cegueira como olhar in-visível. Desafio à deficiência

Zardel Jacobo Cupich, Silvia Laura Vargas López

Resumo


Este trabalho tem por objetivo fazer uma análise reflexiva e crítica sobre o discurso historicamente construído sobre a deficiência e seus efeitos na constituição da subjetividade das pessoas denominadas com esse termo: deficiência. Um de seus efeitos concomitantes resulta ser as emoções ambivalentes: vergonha, medo, impotência, incapacidade, não somente dos sujeitos “declarados (condenados)” por esse discurso, mas também afeta toda a família. É proposta uma visão diferente que tenta subverter o significado de negatividade, de déficit. Através de Eugen Bavcar, reconhecido fotógrafo cego e de suas próprias palavras, é verificada a possibilidade de formar uma outra identidade, outros possíveis registros emocionais, gerando outra posição e lugar no mundo. Assim, revelando o surgimento de um novo significante que substitua o significante do olhar cego, incapacitado, pelo olhar invisível, a outra maneira de olhar, de viver e de ser

Palavras-chave


deficiência; identidade; significante; olhar cego; olhar invisível

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/2317-1219rf.v4i1.7023

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994