A Educação Profissional no Contexto da Sociedade Capitalista Brasileira: análise a partir do método crítico-dialético

Maria Regina Filgueiras Antoniazzi

Resumo


A intenção deste ensaio é recolocar o marxismo como opção epistemológica, teórica, metodológica e política no campo do debate da educação, particularmente, da educação profissional. Procuramos, esquematicamente, apresentar três dimensões articuladas, que denominamos de impasses da educação profissional frente ao capitalismo periférico no Brasil. Inicialmente discutimos o campo simbólico como campo de expressão das ideologias que sustentam o capitalismo e que utiliza, dentre outras estratégias, o silenciamento sobre o marxismo, e mesmo sobre o capitalismo, no sentido de esvaziar a crítica e o questionamento político. Em seguida relacionamos esses mecanismos à educação profissional, identificando como o capitalismo neoliberal opera. Também apresentamos alguns fundamentos filosóficos, teóricos e metodológicos da “teoria da práxis”, mostrando a indissociabilidade entre teoria crítica e ação transformadora. Por fim, nas considerações finais reafirmamos a posição inicial em recolocar o marxismo como instrumental fundamental na compreensão das políticas educacionais, já que estão imersas na sociedade capitalista contemporânea, hoje hegemônica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/2317-1219rf.v1i2.6634

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994