Considerações sobre as origens das dificuldades com os conteúdos de Física, a partir de depoimentos de alunos de uma escola pública de Fortaleza

Idevaldo da Silva Bodião, Carin Rochane Costa de Araújo

Resumo


Reconhecendo a existência de percepções negativas dos físicos, como profissionais, e da Física, enquanto componente curricular da educação básica, este trabalho busca identificar indícios das origens dessas aversões, como podem ter se instalado e evoluído e se podem ter interferido nas aprendizagens dos estudantes. Para tanto, realizou-se um “estudo de caso” em uma escola de ensino médio da rede pública estadual do Ceará; os dados aqui apresentados referem-se às entrevistas, semi-estruturadas, realizadas com 12 estudantes das três séries. A análise das informações, feita através de leitura impregnativa, sugere que há associações, quase exclusivas, da disciplina Ciências, do Ensino Fundamental, com Biologia, que há correlações entre as dificuldades em Matemática e Física e que há professores que conseguem envolver seus alunos, o que permite concluir que as experiências positivas, quando existem, decorrem de ações isoladas dos professores, que os alunos não sabem e não gostam de Matemática, fato que interfere nas aprendizagens de Física e que as aversões aos conteúdos de Física não parecem nascer no Ensino Fundamental.

Palavras-chave


Ensino-aprendizagem, Ensino Médio, Ensino de Física

Texto completo:

artigo em pdf


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/2317-1219rf.v0i20.5689

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994