Concepções de ser professor e motivos de escolha pela docência em Educação Física

Bárbara Turra, Cátia Silvana da Costa, Fernanda Rossi

Resumo


Objetiva-se identificar as concepções de ser professor de estudantes do curso de Licenciatura em Educação Física, compreender a escolha pela profissão docente e as influências das experiências vividas na graduação (tronco comum) nas decisões dos estudantes. A pesquisa, qualitativa, foi desenvolvida em uma Universidade pública do Estado de São Paulo, com vinte graduandos, por intermédio de questionário aberto. Para os participantes, ser professor é ser um agente de transformação; um profissional detentor de conhecimento que se relaciona com os alunos numa perspectiva horizontal. Quanto aos motivos que levaram à escolha do curso de licenciatura em Educação Física, destacaram-se a identificação com a área; a estabilidade e segurança econômica; a influência das experiências na graduação; a relação dos graduandos com os professores e os procedimentos didático-metodológicos adotados no curso; o anseio de ser um agente de transformação e de transmissão do conhecimento; e influências familiares e/ou escolares. Em relação a seguir ou não na carreira de professor quando concluir a graduação, a maioria dos estudantes respondeu positivamente, mas ainda existem alguns com dúvidas. Conclui-se que as concepções de ser professor resultaram, sobretudo, de representações construídas na trajetória de vida dos estudantes e das influências do tronco comum da graduação, que podem contribuir para a manifestação e configuração de suas decisões docentes. Logo, é relevante (re)pensar como essas representações podem ser (des)construídas e (re)construídas no tronco comum dos cursos de licenciatura no intuito de melhor fundamentar o estudante para suas decisões relacionadas à carreira docente.

Palavras-chave


Licenciatura. Formação Docente. Educação Física.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2000.

CANDAU, M. V. A formação de educadores: uma perspectiva multidimensional. A formação do educador: desafios e perspectivas. Série Estudos, PUC/RJ, 1981.

COSTA, C. S. Histórias de vida e saberes de professores de Educação Física que atuaram nos anos iniciais do ensino fundamental nas décadas de 1980 e 1990. 2017. 557 f. Tese (Doutorado em Educação). São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2017.

DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Tradução: Andréa Stahel M. da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOLLE, A. et al. Construção da carreira docente em Educação Física: escolhas, trajetórias e perspectivas. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 25-49, jan./mar. 2009.

FOLLE, A.; NASCIMENTO, J. V. D. Aderência à profissão Educação Física: estudo de casos no magistério público estadual de Santa Catarina. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 20, n. 3, p. 353-367, 3.trim. 2009.

FOLLE, A.; NASCIMENTO, J. V. D. Estudos sobre o desenvolvimento profissional: da escolha à ruptura da carreira docente. Revista da Educação Física/ UEM, Maringá, v. 19, n. 4, p. 605-618, 4.trim. 2008.

GALINDO, C. M. W. A construção da Identidade profissional docente. Psicologia ciência e profissão, [S.L], v. 24, n. 2, p. 14-23, 2004.

GIL, M. S. J.; HERNÁNDEZ, F.; NEGRINE, A.; MOLINA, M. R. R. A pesquisa qualitativa na Educação Física. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LUDKE, M.; ANDRÉ, E. D. A. M. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 2012.

MASCHIO, V. et al. As motivações para a escolha do curso de licenciatura em educação física: um diálogo com acadêmicos em formação inicial. Boletim Brasileiro de Educação Física, Brasília, n. 73, p. 1-9, fev./mar. 2009.

MUHLSTEDT, A.; HAGEMAYER, R. C. D. C. Escolha da profissão e trajetórias de vida do professor. Caderno da Pedagogia, São Carlos, v. 8, n. 16, p. 28-39, jan./jun. 2015.

RAZEIRA, M. B. et al. Os motivos que levam à escolha do curso de Licenciatura em Educação Física e as pretensas áreas de atuação. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 124-136, jul./dez. 2014.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto Editora, p. 63-92. 1999.

SAVIANI, D. A função docente e a produção do conhecimento. Educação e Filosofia, [S.L], v. 11, n. 21 e 22, p. 127-140, jan./jun. e jul./dez. 1997.

SILVA, A. R.; KRUG, H. N. As trajetórias formativas de acadêmicos de Educação Física do curso de Licenciatura da UFSM: contribuições na constituição do ser professor. Atos de Pesquisa em Educação, [S.L], v. 7, n. 4, p. 1026-1052, dez. 2012.

SILVA. M. D. Complexidade da formação de professores: saberes teóricos e saberes práticos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009.

SOARES, I. M. F.; BEJARANO, N. R. R. Crenças dos professores e formação docente R. Faced, Salvador, n. 14, p. 55-71, jul./dez. 2008.

SOUTO, R. M. A.; PAIVA, P. H. A. A. D. A pouca atratividade da carreira docente: um estudo sobre o exercício da profissão entre egressos de uma licenciatura em matemática. Pro-Posições [online]. v. 24, n.1, 201-224. 2013.

TARTUCE, G. L. B. P.; NUNES, M. M. R.; ALMEIDA, P. C. A. D. Alunos do Ensino Médio e atratividade da carreira docente no Brasil. Cadernos de Pesquisa, [S.L], v. 40, n. 140, p. 445-477, mai./ago. 2010.

VALÉRIO, C. Atratividade da carreira docente no curso de licenciatura em pedagogia: dilemas, escolhas e inserção profissional. 2012. 78 f. Trabalho de Conclusão de Curso. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/re.v8i3.29626

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994