Práticas de Multiletramento: uma realidade ainda distante nas escolas contemporâneas

Roberto Remígio Florêncio, Hanna Moitinho Freire Queiroz Silva, Maria Helena Silveira Bonilla

Resumo


As tecnologias da informação e comunicação (TIC) modificaram nossas relações sociais e interpessoais, ao ponto de se naturalizarem como práticas comunicativas cotidianas em nosso tempo. No entanto, no contexto escolar, as práticas multiletradas que as TIC oferecem ainda estão muito distantes, predominando uma educação de controle, mecanicista e desconectada da realidade atual. Este estudo procura discutir as relações de ensino-aprendizagem efetivadas pela escola contemporânea em relação ao uso dos dispositivos digitais e das TIC, e apresentar criticamente o modo como as instituições de ensino têm desempenhado funções ainda tão tímidas em relação ao uso dessas tecnologias em suas práticas pedagógicas, principalmente na prática textual. Ao analisar os conceitos de texto, hipertexto e hipermídia correlacionados ao multiletramento, notou-se que a compreensão de tecnologia não pode estar na sociedade como incremento à prática educativa, pois esta é a própria prática e os seus aprimoramentos é que devem ser efetuados no exercício de construção e remodelação em sala e fora dela. E, ainda, que práticas tão inerentes e consolidadas da sociedade contemporânea não podem estar afastadas dos debates e das políticas educacionais.

Palavras-chave


TIC. Hipermídia. Multiletramento

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. 1978. Estética da criação verbal. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. 3.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

BONILLA, Maria Helena Silveira. Escola aprendente: para além da sociedade da informação. Rio de Janeiro: Quarter, 2005.

BONILLA, M.H.S, PRETTO, N. Política educativa e cultura digital entre práticas escolares e práticas sociais. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 2, p. 499 - 521, maio/ago. 2015

_________. Escola aprendente: desafios e possibilidades postos no contexto da sociedade do conhecimento. Tese de doutorado - Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação. Salvador, 2002. Acessado em https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/6819 26/07/2018.

_________. (Re)articulação de linguagens na escola: oralidade, escrita e informática. EPEN - XIV Encontro de Pesquisa Educacional do Nordeste: Avaliação Institucional – Anais: CD-rom. 1999.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: do conhecimento à ação política. Lisboa: Editora da Imprensa Nacional, Casa da Moeda, 2006.

CEAP, nº 33, p. 47-51, 2001. Acessado em http://www2.ufba.br/~bonilla/texto3.htm, em 12/08/2018.

CHIAPINOTO, Diego. Linguagem, educação e TICs. In: Conjectura, v. 5, n. 2, p. 71-79, maio/ago. 2010. Caxias do Sul: 2010.

DIAS, C.A. Hipertexto: evolução histórica e efeitos sociais. Ci. Inf., Brasília, v. 28, n. 3, p. 269-277, set./dez. 1999

FAVERO, L. L.; KOCH, I. G. V. Linguística Textual: uma introdução. 3 o ed. São Paulo; Cortez, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/re.v9i1.28888

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994