Gênero e Diversidade na Escola: reflexões sobre uma política pública intersetorial de prevenção à violência

Renata de Fatima Tozetti, Marcos Claudio Signorelli, Daniel Canavese de Oliveira

Resumo


O Ministério da Educação vem fomentando uma política intersetorial de formação docente em gênero, diversidade e prevenção de violências por meio do curso Gênero e Diversidade na Escola. Objetivou-se analisar as repercussões dessa estratégia na prevenção e manejo de violências nas escolas dos egressos. Adotou-se avaliação por triangulação, mesclando pesquisa documental e follow-up após dois anos do término do curso, incluindo145 egressos que responderam a um formulário quantitativo e 21 entrevistas semi-estruturadas. Os resultados indicaram: a) em 89,8% (n=62) das escolas ocorreram violências e os egressos interviram utilizando conteúdos do curso; b) 22,9% (n=50) foram situações de homofobia, 21,1% (n=46) racismo, 14,2% (n=31) sexismo e 9,1% (n=20) violência doméstica; c) os dados qualitativos sinalizaram o curso como uma estratégia de formação de multiplicadores engajados na prevenção de violências e promoção de cultura de paz em seus espaços. No entanto, mesmo tal estratégia demonstrando avanços consideráveis, os desafios persistem com o atual cenário político-econômico, sendo o mais ameaçador a possibilidade de retrocesso imposto por setores conservadores do executivo e legislativo. Portanto, a visibilidade das ações é um passo decisivo para manutenção e potencialização, evitando o desmonte desta estratégia.

Palavras-chave


Gênero; Violência; Escola; Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


BENTO, Berenice. Transviad@s: sexualidade, gênero e direitos humanos. Família: entre o santo Graal e o exílio. Disponível em:http://revistacult.uol.com.br/home/2015/12/familia-entre-o-santo-graal-e-o-exilio/Publicado dia 02/12/2015 por redacaocult, nas categorias: Berenice Bento, Exclusivo do Site às 12h12.

BORRILLO, Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2010.

CARRARA, Sergio. Moralidades, racionalidades e políticas sexuais no Brasil contemporâneo. MANA 2015; 21(2): 323-345, – DOI http://dx.doi.org/10.1590/0104-93132015v21n2p323

CARRARA, Sergio; NASCIMENTO, Marcos; DUQUE, Aline e TRAMONTANO Lucas. Diversity in school: a Brazilian educational policy against homophobia. Journal of LGBT Youth. 2016; 13(1-2):161-172.

FIGUEIREDO, Nébia. Método e metodologia na pesquisa científica. 2ª Edição. São Paulo: Yendis, 2007.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP. Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Edição X. São Paulo, 2016.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª Edição. São Paulo: Atlas, 1999.

GRESPAN, Carla Lisbôa; GOELLNER, Silvana Vilodre. “Querem, na escola, transformar seu filho de 6 a 8 anos em homossexual”: Sexualidade, educação e a potência do discurso heteronormativo. Revista da Faced, Salvador, n.19. p.103-122, jan./jun. 2011.

HEILBORN, Maria Luiza; CARRARA, Sergio. Gênero e Diversidade na Escola: uma proposta de ação. In: CARRARA, Sergio. Gênero e Diversidade na Escola: Formação de Professoras/es em Gênero, Orientação Sexual e Relações Étnico-Raciais. Livro de Conteúdo. Rio de Janeiro: CEPESC, 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Educação e docência: diversidade, gênero e sexualidade. Form. Doc. 2011; 3(4):62-70. Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

LUZ, Nanci Stancki; CARVALHO, Marília Gomes; CASAGRANDE, Lindamir Salete, organizadoras. Construindo a igualdade na diversidade: gênero e sexualidade na escola. Curitiba: UTFPR; 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; SOUZA, Edinilsa Ramos de. É possível prevenir a violência? Reflexões a partir do campo da saúde pública. Revista Ciência e Saúde Coletiva, 1999; 4(1):7-32.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

MISKOLCI, Richard. Pânicos morais e controle social: reflexões sobre o casamento gay. Cadernos Pagu 2007; (28), janeiro-junho de 2007:101-128.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE - OMS. Relatório Mundial sobre a Prevenção da Violência 2014. Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo, 2015.

PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. São Paulo: História, v. 24, n. 1; 2005.

RIBEIRO, Maria da Conceição Osório. Prevenção Primária da Violência: construção, implementação e avaliação de um programa de intervenção em contexto escolar. 2008. 207 f. Dissertação (Mestrado). Portugal: Universidade Fernando Pessoa; 2008. Disponível em: http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/1518/1/DM_Maria_Conceicao_Osorio.pdf

ROHDEN, Fabíola; CARRARA, Sergio. O percurso da experiência gênero e diversidade na escola: pretensões, realizações e impasses. In: ROHDEN, Fabíola et al. Os desafios da transversalidade em uma experiência de formação online: curso Gênero e Diversidade na Escola. Rio de Janeiro: CEPESC, 2008.

TORTATO, Cíntia Batista de Souza. Pensar a escola como um lugar para todos: a inclusão do gênero. In: OLIVEIRA, Daniel Canavese e COVOLAN, Nádia Terezinha, organizadores. Educação & Diversidade: a questão de gênero e suas múltiplas expressões. Rio de Janeiro: Editora Autografia, 2015. p. 103-120.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Planejamento: Projeto de ensino aprendizagem e projeto político-pedagógico. 14ª Edição. São Paulo: Liberdad, 2005.

WANZINACK, Clóvis; SIGNORELLI, Marcos Claudio; REIS, Clóvis. Violencia de género em lãs escuelas: estudio territorial com profesores de tres Estados de Brasil. Revista Sexología y Sociedad 2015; 21(2) 281-291.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/re.v8i1.24485

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994