A pensar uma Proposta Pedagógica na Escola: Crianças e o Protagonismo Infantil

Carine Rozane Steffens, Tania Micheline Miorando

Resumo


Este artigo se fez a partir da discussão sobre o Protagonismo Infantil em uma Escola pública, cuja proposta pedagógica intensificou-se a partir do desafio lançado aos seus professores. A investigação tomou por cenário uma Escola Municipal de Educação Infantil, do Vale do Taquari/RS/BRA, e analisou uma proposta de ensino que tem como base potencializadora, a valorização do Protagonismo Infantil. Metodologicamente teceu-se de uma concepção qualitativa, de tipo etnográfica, que produziu-se pela observação participante. Aproximamo-nos de crianças na faixa etária de 04 a 05 anos de idade e mostramos a voz de cinco professoras, que responderam sobre suas práticas e a elaboração do planejamento diário, relatando o surgimento do projeto sobre o Protagonismo Infantil, o ensino e as contribuições da proposta na aprendizagem das crianças. As respostas ganharam corpo juntamente com a revisão bibliográfica, com destaques às ideias dos autores ABRAMOWICZ (2003), BRASIL (2010), EDWARDS (1999), FORNEIRO (1998), GANDINI (2002), HORN (2004), MALAGUZZI (1999), RINALDI (2012), SCHNEIDER (2015), SILVA (2011), entre outros escolhidos, para tramar com a análise. Foi possível constatar no estudo deste trabalho que o propósito da metodologia desta instituição voltada ao Enfoque Emergente é priorizar a criança como protagonista de sua aprendizagem, proporcionando atividades, projetos, brincadeiras, voltadas ao seu interesse e necessidades frente aos diferentes contextos em que vivem. Os professores, pais, crianças e comunidade escolar, visam, dentro do possível, discutir e analisar minuciosamente a pedagogia oferecida pela Escola, para assim melhor atender a demanda que se apresenta e projetar a educação na qual acreditam.

Palavras-chave


Protagonismo Infantil. Planejamento didático-pedagógico. Espaços na Educação Infantil. Docência na Educação Infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWICZ, A. O Direito das crianças à Educação Infantil. Proposições, v. 14. n. 3 (42), 13-24. Campinas, 2003, set. /dez..

ANDRÉ, M. E. D. A. de. A pesquisa no cotidiano escolar. In: FAZENDA, I. [Org.] Metodologia da Pesquisa Educacional. São Paulo: Cortez, 1994.

ANGROSINO, M. Etnografia e observação participante. Tradução de José Fonseca. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Tradução de Lucie Didio. Brasília (DF): Liber Livro, 2004.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica Brasília: MEC/SEB, 2010.

BRASIL. Lei De Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/1996. Recuperado em: . Acesso em: 28 nov. 2015.

COHN, Clarice. Antropologia da criança. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

DIAS, R. de O. (Org). Formação inventiva de professores. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

DIAS, R. de O. Deslocamentos na formação de professores: aprendizagem de adultos, experiência e políticas cognitivas. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011.

EDWARDS, C. As Cem Linguagens da Criança: A abordagem de Reggio Emília na Educação da Primeira Infância. In: EDWARDS, C., GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Tradução de D. Batista. Porto Alegre: Artmed, 1999.

ESPINOSA, B. Ética. CARVALHO, J. de. (Notas). Lisboa: Relógio d'Agua, 1992.

FORNEIRO, L. I. A organização dos Espaços na Educação Infantil. In: ZABALZA, M. A. Qualidade em Educação Infantil. Tradução de B. A. Neves. Porto Alegre: Artmed, 1998.

GANDINI, L.; EDWARDS, C. Bambini: a abordagem italiana à educação infantil. Tradução de D. Etcheverry Burguño. Porto Alegre: Artmed, 2002.

GRAVATÁ, A. Volta ao mundo em 13 escolas. São Paulo: Fundação Telefônica: A.G., 2013

HORN, M. da G. S. Sabores, Cores, Sons e Aromas: A organização dos espaços na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

KINNEY, L. WHARTON, P. Tornando Visível a aprendizagem das crianças. Porto Alegre: Artmed, 2009.

KUHLMANN, M. Junior. Infância e Educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LÜDKE, M. ANDRÉ, M. E. D. A. de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2013.

MALAGUZZI, L. Histórias, Idéias e Filosofia Básica. In: EDWARDS, C. As Cem Linguagens da Criança: A abordagem de Reggio Emília na Educação da Primeira Infância. Tradução de D. Batista. Porto Alegre: Artmed, 1999.

RINALDI, C. Diálogos com Reggio Emília: Escutar, investigar e aprender. Tradução de V. Cury. 1. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

SCHNEIDER, M. C. O Protagonismo Infantil e as estratégias de ensino que o favorecem em uma turma de Educação Infantil. Dissertação de Mestrado em Ensino. Centro Universitário UNIVATES. Lajeado, RS, Brasil, 2015.

SILVA, J. S. da. O planejamento no Enfoque Emergente: uma experiência no 1º Ano do Ensino Fundamental de Nove Anos. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Porto Alegre, RS, Brasil, 2011.

Filmografia:

Sementes do nosso quintal. Direção de Fernanda Heinz Figueiredo. Documentário. São Paulo: Espaço Filmes, 2014.

Quando sinto que já sei. Direção de Antonio Sagrado, Raul Perez e Anderson Lima. Documentário. São Paulo: Despertar Filmes, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/re.v7i1.22203

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994