Ensino e Aprendizagem em Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental: reflexões sobre representações de estudantes de curso de Pedagogia

Marcio Alessandro Teles Fonseca

Resumo


O artigo tem como objetivo discutir a representação que estudantes de curso de Pedagogia têm do ensino e da aprendizagem em Matemática, buscando apreender de que forma essas representações se expressam enquanto discursos e práticas vivenciados ao longo da oferta da disciplina. O estudo tomou como referência teórica o conceito de representação social entendido como um sistema de interpretação que regem nossa relação com o mundo e com os outros, orientando e organizando as condutas e as comunicações sociais (Jodelet, 2002). O estudo foi desenvolvido ao longo de três semestres letivos, entre 2015 e 2016, momento em que foram coletados os dados por meio da aplicação de um questionário com os estudantes matriculados na disciplina “Conteúdos e Metodologias da Matemática”, do Curso de Pedagogia de uma Instituição de Educação Superior (IES), localizada na Região do Baixo Sul da Bahia. A partir dos resultados encontrados pudemos perceber que enquanto 90% da amostra indicaram possuir sérias dificuldades com relação ao domínio dos conhecimentos básicos da Matemática, 92,5% reconheceram que esses conhecimentos são fundamentais para a vida em sociedade. Os resultados revelam, portanto, que, se por um lado, os estudantes reconhecem a importância da Matemática para a vida em sociedade, por outro, percebem também que suas dificuldades são imensas e sua relação com a disciplina é de “medo” e “frustração”, aspectos que precisam ser enfrentados e considerados como elementos importantes a serem trabalhados pelos professores que atuam no processo de formação desses futuros professores.

Palavras-chave


Ensino da Matemática; Aprendizagem em Matemática; Representações Sociais; Formação de Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. B e LIMA M. G. Formação inicial de professores e o curso de pedagogia: reflexões sobre a formação matemática. Ciência & Educação, v. 18, n. 2, p. 451-468, 2012. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516- 73132012000200014> Acesso em 20.10.2016.

BICUDO, M. A. e SILVA JÚNIOR, C. A. S. Formação do educador. São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

BRASIL/MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais, 1997.

CARRAHER, T., CARRAHER, D. e SCHLIEMANN, A. L. Na vida dez, na escola zero. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CORDEIRO, M.H., DONADUZZI, A., e SCHLINDWEIN, SM. Psicologia e educação: Representação social do bom aluno: implicações éticas na educação. In: PLONER, K.S., (Org.) Ética e paradigmas na psicologia social [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008.

COSTA, J. M., PINHEIRO, N. A. M. e COSTA, E. A formação para matemática do professor de anos iniciais. Ciênc. Educ., Bauru, v. 22, n. 2, p. 505-522, 2016

CATANI, D. B. e BUENO, B. O. (Org.) A vida e o ofício dos professores. São Paulo: Escrituras, 2000.

CURI, E. Formação de professores polivalentes: uma análise de conhecimento para ensinar matemática e de crenças e atitudes que interferem na constituição desses conhecimentos. 2004. 278 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

CUNHA, D. R. A matemática na formação de professores dos anos iniciais do ensino fundamental: relações entre a formação inicial e a prática pedagógica. 2010. 107. f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática). Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975.

GAMA, E. M. P. As Percepções sobre a Causalidade do Fracasso Escolar no Discurso Descontente do Magistério. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v.72, n. 172, (pp.356-384) Brasília, D. F. 1991

GIARDINETTO, J. R. B. Matemática escolar e matemática da vida cotidiana. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

GRAÇA, M. e MOREIRA, M. A. Representações Sociais sobre a Matemática, seu ensino e aprendizagem: um estudo com professores do ensino Secundário. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação e Ciências. Belo Horizonte: UFMG, v.4, nº 3, 2004.

GUSMÃO, T. C. R. S. Professores dos anos iniciais apresentam as mesmas dificuldades que seus alunos em relação à Matemática. Anais do VII CIBEM, Uruguai, 2013.

JODELET, D. (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2002

LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade. Porto: Porto Editora, 2000.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. 10ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

REIS, M. A. (Re)Invenção da escola pública: sexualidade e formação da jovem professora. 2002, 398 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2002

SANTOS, R. M. Representações sociais de professores do ensino fundamental sobre Matemática. 2016, 115 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Educação Científica e Formação de Professores. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Vitória da Conquista, 2008.

SPINK, M.J.P. O Conceito de Representação Social na Abordagem Psicossocial. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 9 (3): 300-308, jul/set, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/re.v6i1.18388

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, desde 2012. ISSN: 2317-1219 (online)
www.entreideias.ufba.br
Antiga Revista da FACED, desde 1994