PREPARO DE ENFERMEIROS E MÉDICOS PARA O CUIDADO À MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA CONJUGAL

Nadirlene Gomes, Alacoque Lorenzini Erdmann, Giovana Dorneles Callegaro Higashi, Kamylla Santos Cunha, Rosana Santos Mota, Normélia Maria Freire Diniz

Resumo


O Brasil ocupa a 7º posição no mundo de homicídios de mulheres, sendo o crime passional uma das principais causas. Estudo qualitativo, ancorado na Grounded Theory com objetivo de compreender o preparo de enfermeiros e médicos que atuam na Estratégia Saúde da Família para o cuidado à mulher em situação de violência conjugal. Entrevistou-se 52 profissionais de 16 equipes de saúde em um município de Santa Catarina, Brasil. O estudo sinaliza para o despreparo profissional na abordagem e cuidado à mulher em situação de violência conjugal, atribuindo tal dificuldade a formação na graduação. Sugere-se a inclusão da temática nos currículos, a partir de espaços onde os discentes possam experienciar o atendimento à mulher. O estudo oferece elementos que contribuem para o (re)pensar acerca da organização da estrutura curricular, a fim de que se contemple problemas sociais e de saúde frequentes na realidade, como é o caso da violência doméstica

Palavras-chave


Violência contra a mulher. Violência na família. Enfermagem. Currículo. Educação em Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v26i3.6754

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt