ENTENDIMENTO DOS(AS) ENFERMEIROS(AS) SOBRE A COMUNICAÇÃO DOS RECÉM-NASCIDOS

Lílian do Nascimento, Anna Maria de Oliveira Salimena, Alessandra Tassi de Paula, Iêda Maria Ávila Vargas Dias, Leila Rangel da Silva, Marli Salvador, Polyana Soares de Souza

Resumo


Estudo de abordagem qualitativa que teve como objetivo descrever o entendimento do enfermeiro que atua em unidade de terapia intensiva neonatal sobre a comunicação não verbal do recém-nascido e descrever as situações em que este profissional mais percebe o estabelecimento desta comunicação. Os dados foram coletados através de entrevista semiestruturada realizada em um hospital público da zona da mata mineira. Originando duas unidades de registro: a comunicação não verbal do recém-nascido sob o olhar da enfermagem e situações de maior percepção da comunicação não verbal do recém-nascido pelo enfermeiro. Os resultados evidenciam que os enfermeiros reconhecem que o recém-nascido se comunica de forma não verbal, sendo este tipo de comunicação mais evidente durante a realização de procedimentos dolorosos ou em situações de manuseio excessivo. Logo, uma equipe de enfermagem atenta a todos os tipos de comunicação, faz com que o recém-nascido receba um cuidado preciso e humanizado.


Palavras-chave


Comunicação. Recém-nascido. Enfermagem. Terapia Intensiva Neonatal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v26i3.6363

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt