INFLUÊNCIA DA EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA AUTOEFICÁCIA EM AMAMENTAR: ESTUDO QUASE EXPERIMENTAL

Sandra Maria Schulz, Kátia Fernanda Alves Moreira, Priscilla Perez da Silva Pereira, Lerissa Nauana Ferreira, Marcos Antônio Sales Rodrigues, Daiana Evangelista Rodrigues Fernandes

Resumo


Objetivo: avaliar a intervenção educativa de enfermagem para a promoção da autoeficácia em amamentação em nutrizes internadas em uma maternidade do Norte do Brasil. Método: estudo quase experimental, longitudinal, composto por um grupo de intervenção (n=80) e observacional (n=78). A intervenção educativa deu-se mediante roda de conversa. A coleta de dados ocorreu no período de janeiro a março de 2018. Resultados: no grupo de intervenção as nutrizes apresentaram alta eficácia para a amamentação, enquanto que no grupo de observação encontrou-se moderada eficácia. Entre as nutrizes com maior escolaridade, que trabalham fora de casa e tinham mamilos íntegros, a intervenção educativa influenciou para melhor autoeficácia na amamentação. O grupo de intervenção apresentou média mais elevada para autoeficácia na amamentação e maior frequência de aleitamento materno exclusivo. Conclusão: nas nutrizes internadas na maternidade estudada, a intervenção educativa influenciou para a manutenção da amamentação exclusiva nos 60° primeiros dias após o parto.

Descritores: Amamentação. Educação em Saúde. Saúde Materno-infantil. Enfermagem.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v34.35995

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt