DESFRAGMENTAR OU INTEGRAR CUIDADOS? UM DESAFIO PARA O ANO INTERNACIONAL DO ENFERMEIRO

Cristina Lavareda Baixinho, Óscar Ferreira

Resumo


A continuidade de cuidados entre diferentes níveis de cuidados, nomeadamente a alta após um internamento hospitalar ou a transferência para outra unidade, nem sempre é efetuada com segurança e garantindo a comunicação e a partilha de informação sobre a situação clinica da pessoa.  As dificuldades na comunicação e articulação entre os cuidados de saúde primários e diferenciados é um obstáculo para responder de uma forma integrada às necessidades da população. Esta questão estende-se não só à pessoa que é internada num hospital, mas também ao seu familiar cuidador. O duplo envelhecimento populacional e o aumento da incidência de doenças crónicas e do grau de dependência, afeta a capacidade de autocuidado e cria novas necessidades de apoio e suporte social, para uma elevada percentagem de idosos, muitas vezes, dependentes de um familiar que assegure as suas atividades de vida diária.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v34.35856

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt