INFLUÊNCIA DE FATORES EPIDEMIOLÓGICOS NO SEGUIMENTO E APARECIMENTO DE PROBLEMAS PUERPERAIS

Isabella Cristina Beskow Oliveira, Rosane Meire Munhak Silva, Helder Ferreira, Rosangela Aparecida Pimenta Ferrari, Adriana Zilly

Resumo


Objetivo: descrever a influência de fatores epidemiológicos para o seguimento puerperal e para o aparecimento de problemas de saúde em região coberta pela Rede Mãe Paranaense. Método: pesquisa descritiva, quantitativa, com 280 puérperas de municípios da nona Regional de Saúde do Paraná, realizada no segundo semestre de 2017 e primeiro de 2018, organizada em duas etapas: no alojamento conjunto de maternidades e nos domicílios, após seis meses do parto. Resultados: a consulta na primeira semana após o parto foi realizada por 51,1% das puérperas, e com 42 dias 76,8%. Baixa idade e escolaridade foram associadas a não realização das consultas. Identificou-se 20,7% de puérperas com problemas clínicos, 53,2% com sintomas emocionais, e aproximadamente 10% com sintomas depressivos e pensamentos suicidas. Conclusão: fatores epidemiológicos têm influência para a adesão insatisfatória de consultas puerperais, mas não para o aparecimento de problemas de saúde no puerpério.

Descritores: Período Pós-parto. Fatores Epidemiológicos. Saúde da Mulher. Cuidados de Enfermagem.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v34.35763

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt