SEDE DO PACIENTE CIRÚRGICO ORTOPÉDICO NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO

Rayane Nascimbeni Maldonado, Marília Ferrari Conchon, Marcela Maria Birolim, Lígia Fahl Fonseca

Resumo


Objetivo: verificar a prevalência, intensidade e desconforto da sede do paciente cirúrgico ortopédico e as correlações com as variáveis demográficas e clínico-cirúrgicas. Método: estudo transversal, quantitativo e analítico com 78 pacientes em Sala de Recuperação Pós-Anestésica de um hospital de ensino. Resultados: oito pacientes (10,3%) verbalizaram sede espontaneamente. Sua intensidade média foi de 4,8 e o desconforto de 5,0. O atributo boca seca foi o mais prevalente, seguido de vontade de beber água e lábios ressecados. Intensidade associou-se significativamente a desconforto da sede no grupo de pacientes de 21 a 40 anos. Houve relação de prevalência entre presença de sede e todos os atributos da Escala de Desconforto da Sede Perioperatória, com exceção do atributo gosto ruim na boca. Conclusão: a sede do paciente cirúrgico ortopédico é prevalente no período pós-operatório, de intensidade moderada, porém consideravelmente desconfortável.

Descritores: Sede. Enfermagem Perioperatória. Ortopedia. Sala de Recuperação.

 


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v34.34533

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt