PREVALÊNCIA DE DISTÚRBIO PSÍQUICO MENOR E FATORES ASSOCIADOS EM ENFERMEIROS INTENSIVISTAS

Deise dos Santos Silva Nascimento, Gabriella Bené Barbosa, Cleide Lucilla Carneiro Santos, Davi Félix Martins Júnior, Carlito Lopes Nascimento Sobrinho

Resumo


Objetivo: estimar a prevalência e os fatores associados aos Distúrbios Psíquicos Menores em enfermeiros intensivistas. Método: estudo de corte transversal, censitário, exploratório, realizado em nove Unidades de Terapia Intensiva de sete hospitais de uma grande cidade do interior da Bahia, Brasil, no período de julho a novembro de 2016. Utilizou-se um questionário validado, autoaplicável e não identificado. Resultados: observou-se associação com as variáveis: idade, carga horária total de trabalho; carga horária de trabalho, plantão noturno, duplo vínculo e tipo de Unidade de Terapia Intensiva; e consumo de álcool. Conclusão: a prevalência estimada foi de 24,6% com elevada prevalência de Distúrbios Psíquicos Menores na população estudada. 

Descritores: Sofrimento Mental. Enfermeiros. Unidades de Terapia Intensiva.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v33.28091

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt