PROCESSO DE MORTE ENCEFÁLICA: SIGNIFICADO PARA ENFERMEIROS DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Murilo Pedroso Alves, Francielle Silva Rodrigues, Kamylla Santos da Cunha, Giovana Dorneles Callegaro Higashi, Eliane Regina Pereira do Nascimento, Alacoque Lorenzini Erdmann

Resumo


Objetivo: compreender como os enfermeiros significam o cuidado prestado ao paciente no processo de morte encefálica em uma Unidade de Terapia Intensiva. Método: pesquisa qualitativa com aporte teórico-metodológico na Teoria Fundamentada nos Dados. A coleta de dados foi realizada em uma Unidade de Terapia Intensiva de um hospital no Sul do Brasil de setembro a novembro de 2014. Participaram do estudo 23 enfermeiros distribuídos em três grupos amostrais. A análise teve início com a codificação aberta, seguindo para a codificação axial e para a codificação seletiva, conforme a Teoria Fundamentada nos Dados. Resultados: emergiu da análise dos dados o fenômeno “Reconhecendo o trabalho multiprofissional como potencializador da doação de órgãos e tecidos para transplantes”, sustentado por cinco categorias. Conclusão: o cuidado prestado aos pacientes em processo de morte encefálica é significado pelos enfermeiros como gerador da oportunidade de uma nova vida aos múltiplos receptores.

Descritores: Cuidados de Enfermagem. Morte Encefálica. Enfermeiros. Unidade de Terapia Intensiva.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v33.28033

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt