MORTALIDADE MATERNA NO ESTADO DO AMAZONAS: ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO

Lidiane Tavares Medeiros, António Manuel Sousa, Leudson Oliveira Arinana, Antônio Sávio Inácio, Maria do Livramento Coelho Prata, Milaine Nunes Gomes Vasconcelos

Resumo


Objetivo: analisar o perfil epidemiológico da mortalidade materna no estado do Amazonas, Brasil. Método: estudo epidemiológico, descritivo e ecológico, baseado em dados secundários do Sistema de Informação Sobre Mortalidade e Sistema de Informação Sobre Nascidos Vivos do Ministério da Saúde, gerados pelo Departamento de Análise e Tabulação de Dados do Sistema Único de Saúde. Utilizou-se os dados dos óbitos maternos e suas causas, além dos dados dos nascidos vivos do Amazonas, Brasil, do período de 2006-2015, sendo estes coletados em 2017. Resultados: ocorreram 564 óbitos maternos, sendo 329 na capital e 235 no interior, resultando um coeficiente de mortalidade materna de 73,45 óbitos/100.000 nascidos vivos. As principais causas de óbitos maternos foram: infecção puerperal, eclâmpsia e hemorragia pós-parto. Conclusão: as mulheres solteiras, entre 20-29 anos, pardas e baixa escolaridade apresentaram maior prevalência de óbito materno. Entre os óbitos, a infecção puerperal foi a mais evidenciada entre as causas obstétricas diretas.


Descritores: Mortalidade Materna. Perfil de Saúde. Infecção Puerperal. Eclâmpsia. Hemorragia Pós-parto.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.26623

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt