PARTICIPAÇÃO EM ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO PERMANENTE E MUDANÇAS NAS PRÁTICAS ASSISTENCIAIS DE ENFERMAGEM

Rosana Santos Mota, Valdenir Almeida da Silva, Juliana Cana Brazil Costa, Ângela Barros, Bruno Pereira Gomes, Renata Pereira Alves Araújo

Resumo


Objetivo: identificar fatores associados à motivação e às mudanças nas práticas assistenciais entre profissionais de enfermagem participantes de atividades de educação permanente. Metodologia: pesquisa quantitativa, com 283 profissionais de enfermagem. Os dados foram analisados no programa STATA versão 13. Realizou-se análise descritiva e inferencial. Resultados: 90,46% dos participantes sentem-se motivados a participar das atividades de educação permanente; para 90,81% dos participantes, houve mudança na prática assistencial. A motivação em participar das atividades foi associada positivamente ao sexo feminino, proferir religião, trabalhar no campo da pesquisa por até oito anos e pertencer ao vínculo empregatício celetista. Já as repercussões na prática profissional foram associadas estatisticamente a ser técnico/auxiliar de enfermagem, ser formado há até dez anos e trabalhar no campo da pesquisa por até oito anos. Conclusão: a motivação para participar das atividades de educação permanente entre profissionais de enfermagem caracterizou-se como propulsora de mudanças nas práticas assistenciais da enfermagem.

Descritores: Educação Permanente. Capacitação em Serviço. Equipe de Enfermagem.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.26485

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt