FATORES RELACIONADOS AO NÃO USO DE MEDIDAS PREVENTIVAS DAS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DURANTE A GESTAÇÃO

Ricardo José Oliveira Mouta, Claúdia Lima de Oliveira, Edymara Tatagiba Medina, Juliana Amaral Prata, Luiza Mara Correia, Cristina Portela da Mota

Resumo


 

Objetivo: conhecer os fatores relacionados ao não uso de medidas preventivas das infecções sexualmente transmissíveis durante o período gravídico. Método: estudo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa, realizado com gestantes num hospital universitário do Rio de Janeiro, Brasil. A coleta dos dados foi feita mediante a aplicação de entrevista semiestruturada, no ano de 2017. Resultados: as entrevistadas conheciam as principais infecções; não utilizavam nenhum método de prevenção; obtiveram informações sobre as infecções pelas mídias sociais, grupos de planejamento familiar e praticamente nenhuma durante o pré-natal; consideraram a conjugalidade um fator de proteção. Conclusão: esta pesquisa desvelou fatores relacionados à não adoção de medidas preventivas das infecções sexualmente transmissíveis por mulheres e seus parceiros durante a gestação.

Descritores: Saúde da mulher. Enfermagem obstétrica. Doenças sexualmente transmissíveis.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.26104

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt