DESCONFORTOS ESPERADOS E VIVENCIADOS POR PACIENTES NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO

Robertha Pickina Juvencio Silva, Ana Raquel Pontello Rampazzo, Leonel Alves do Nascimento, Ligia Fahl Fonseca

Resumo


Objetivo: verificar os desconfortos esperados e vivenciados por pacientes no pós-operatório imediato. Método: estudo descritivo, quantitativo, pré e pós-teste, realizado em dois hospitais públicos. No pré-operatório, os pacientes enumeraram os desconfortos que esperavam vivenciar, dentre dez desconfortos mais comuns, citados em literatura. No pós-operatório imediato indicavam quais desconfortos realmente vivenciaram e atribuíram valores monetários fictícios para evitá-los. A coleta de dados foi realizada de agosto a outubro de 2016. Resultados: participaram da pesquisa 160 pacientes. Os desconfortos esperados, vivenciados e com maiores valores monetários fictícios para preveni-los foram dor (5.870), sede (2.255) e fome (2.125). Estes desconfortos apresentaram correlação significativa entre seu ranqueamento e o valor distribuído para sua prevenção. Conclusão: a dor foi o desconforto mais antecipado e o mais vivenciado, assim como o que teve maior valor atribuído para sua prevenção. Os desconfortos vivenciados sede, fome, fraqueza e frio ultrapassaram as expectativas de desconfortos esperados no pós-operatório imediato.
Descritores: Assistência perioperatória. Cuidados pós-operatórios. Complicações pós-operatórias. Dor. Sede.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.26070

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt