DELIRIUM NA TERAPIA INTENSIVA: FATORES PREDISPONENTES E PREVENÇÃO DE EVENTOS ADVERSOS

Monique Hellen Oliveira da Silva, Flavia Giron Camerini, Danielle De Mendonça Henrique, Luana Ferrreira de Almeida, Andrezza Serpa Franco, Sandra Regina Maciqueira Pereira

Resumo


Objetivo: analisar os fatores predisponentes e identificar os eventos adversos relacionados ao delirium nos pacientes internados na unidade de terapia intensiva. Método: estudo de coorte prospectivo, ocorrido entre julho e agosto de 2017. A coleta de dados foi realizada por meio de instrumento próprio, com variáveis relacionadas ao delirium. Para análises de associação, foi aplicada a razão de risco. Resultados: entre os 18 pacientes selecionados, foi identificado delirium em 7 (39%); a privação do sono e o tabagismo foram os fatores predisponentes com maior razão de risco (5 e 2.83 respectivamente) e a ocorrência de evento adverso também apresentou uma associação positiva significativa relacionada à ocorrência de delirium (RR=4,71). Conclusão: o principal evento adverso associado ao delirium foi a retirada não planejada de dispositivos invasivos. 

Descritores: Delírium. Segurança do paciente. Cuidados críticos


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.26031

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt