PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE EM CAPITAL HIPERENDÊMICA: UMA AVALIAÇÃO OPERACIONAL

Yara Naya Lopes de Andrade Goiabeira, Isaura Letícia Tavares Palmeira Rolim, Dorlene Maria Cardoso de Aquino, Leonardo Hunaldo dos Santos, Alice Bianca Santana Lima, Vanessa Moreira da Silva Soeiro

Resumo


Objetivo: avaliar o Programa de Controle da Hanseníase em capital hiperendêmica no Brasil. Método: pesquisa de
avaliação, realizada em todas as instituições de saúde que operacionalizavam o programa de controle da hanseníase
no município de São Luís, Maranhão, Brasil, abrangendo todos os casos novos e contatos de casos de hanseníase
notificados no ano de 2012. Resultados: o programa foi classificado como “Bom” quanto às taxas de abandono
(3,4%) e quanto ao grau de incapacidade física no diagnóstico (94,6%). Os indicadores proporção de alta por cura
(42,5%) e proporção de contatos examinados (29,1%) foram classificados como “Precários”. O indicador proporção
de casos curados no ano com grau de incapacidade física avaliado na alta foi classificado como “Regular” (82,5%).
Conclusão: o Programa de Controle da Hanseníase no município não vem atuando de maneira efetiva e resolutiva,
sugerindo uma deficiência na qualidade do acompanhamento dos casos até a completude do tratamento.


Descritores: Hanseníase. Avaliação em saúde. Indicadores de qualidade em assistência à saúde.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.25144

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt