QUALIDADE DE VIDA DE HOMENS E MULHERES EM HEMODIÁLISE

Naftali Duarte do Bonfim Gomes, Natália Pessoa da Rocha Leal, Cláudia Jeane Lopes Pimenta, Kaisy Pereira Martins, Gerlania Rodrigues Salviano Ferreira, Kátia Neyla de Freitas Macedo Costa

Resumo


Objetivo: avaliar a qualidade de vida de pessoas que realizam hemodiálise. Método: estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 40 participantes em um hospital de referência de João Pessoa, Paraíba, Brasil, entre os meses de março e abril de 2016. A coleta de dados ocorreu mediante entrevista, utilizando um instrumento semiestruturado e o WHOQOL-BREF. Resultados: a qualidade de vida resultou, para ambos os sexos, em um pior escore médio para o domínio “Físico” e um melhor escore para o domínio “Relações Sociais”. A hemodiálise interfere consideravelmente na qualidade de vida, principalmente nas atividades básicas de vida diária. Conclusão: a média total da qualidade de vida de pessoas que realizam hemodiálise foi maior entre os homens. Descritores: Doença renal crônica. Diálise renal. Qualidade de vida.

Descritores: Doença Renal Crônica. Diálise Renal. Qualidade de Vida.


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.24935

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt