ABORDAGEM TERAPÊUTICA NO PROCESSO DE ESVAZIAMENTO UTERINO

Cassiana Pinheiro de Araújo, Adélia Cristina Vieira de Rezende Dornelas, Antonio Manuel Sousa

Resumo


Objetivos: identificar a terapêutica utilizada no processo de esvaziamento uterino e traçar o perfil obstétrico das mulheres assistidas nesse processo. Método: pesquisa quantitativa, retrospectiva, de caráter exploratório-descritivo, constituída por 466 prontuários de mulheres internadas para esvaziamento uterino, no período de junho de 2015 a junho de 2016. Resultados: a idade variou entre 14 e 43 anos, o principal diagnóstico foi o aborto incompleto, responsável por 44,85% das internações, a terapêutica inicial mais utilizada foi o misoprostol (57,71%) e o tempo de internação até o esvaziamento uterino variou entre 0,20 e 137 horas. Conclusão: o perfil obstétrico da mulher que vivencia a perda gestacional não difere do encontrado nacionalmente; a curetagem foi a terapêutica final mais utilizada acrescida de alguns desfechos desfavoráveis, como maior tempo de internação e exposição excessiva a medicação.

Descritores: Saúde da mulher. Abortamento. Métodos terapêuticos. Assistência à saúde


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.24857

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt