PLANO DE PARTO COMO ESTRATÉGIA DE EMPODERAMENTO FEMININO

Ricardo José Oliveira Mouta, Tania Maria de Almeida Silva, Paula Titara Silva de Melo, Natália de Souza Lopes, Vanessa dos Anjos Moreira

Resumo


Objetivo: analisar como o plano de parto propiciou o empoderamento feminino durante o trabalho de parto e parto. Método: estudo exploratório qualitativo. Os dados foram coletados mediante a entrevista semiestruturada, entre maio e junho de 2016. O tratamento analítico empregado foi a análise de conteúdo. Resultados: a partir da análise dos dados emergiram três categorias: Plano de parto – um direito da mulher até então desconhecido; Plano de parto – uma tecnologia integrada à assistência do enfermeiro obstétrico; Plano de parto – uma tecnologia a favor do empoderamento feminino no parto. Com esse estudo, percebemos que existe um desconhecimento acerca do plano de parto,
independentemente da idade, escolaridade ou número de gestações das entrevistadas. Conclusão: destacou-se a importância do enfermeiro obstétrico atuando em partos e utilizando o plano de parto como uma tecnologia não invasiva. A construção do plano de parto durante o pré-natal contribui para o desenvolvimento favorável do trabalho de parto.


Descritores: Enfermagem obstétrica. Parto humanizado. Poder. Mulher.


Palavras-chave


Enfermagem Obstétrica; Parto Humanizado; Poder; Mulher.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i4.20275

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt