ACESSIBILIDADE E UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE POR GESTANTES COM HIV: REVISÃO INTEGRATIVA

Raquel Einloft Kleinubing, Cristiane Cardoso de Paula, Stela Maris de Mello Padoin, Tamiris Ferreira, Fernanda Severo da Silva

Resumo


Objetivo: avaliar a acessibilidade e utilização dos serviços de saúde pelas gestantes que vivem com HIV. Método: revisão integrativa realizada nas bases de dados LILACS, PubMed e SCOPUS no período de janeiro de 2016, totalizando 39 produções. Para avaliação crítica dos estudos primários utilizou-se a classificação do nível de evidência. Resultados: a acessibilidade tem esbarrado nos aspectos: tempo, horário de funcionamento, insuficiência de insumos, transporte, localização, custos, estrutura dos serviços, estigma, ausência de apoio, acesso a conhecimentos, privacidade, confidencialidade e relação profissional-usuária. Quanto à utilização dos serviços de saúde, o mesmo foi limitado ao exame anti-HIV e apresentou profilaxia incompleta. O tipo de uso dos serviços incluiu exames, uso de antirretrovi­rais, pré-natal e parto. Conclusão: a acessibilidade e a utilização dos serviços pelas gestantes com HIV encontram barreiras relacionadas ao tempo, a localização e aos aspectos psicossociais.

 

Descritores: Acesso aos Serviços de Saúde; Gestantes; HIV; AIDS.

 


Palavras-chave


Acesso aos Serviços de Saúde; Gestantes; HIV; AIDS.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i2.17437

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.