PERCEPÇÃO DE MÃES DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS HOSPITALIZADOS ACERCA DA AMAMENTAÇÃO

Marcela Jucá Bezerra, Amanda Cordeiro de Oliveira Carvalho, Karla Jimena Araújo de Jesus Sampaio, Simone Soares Damasceno, Dayanne Rakelly de Oliveira, Maria de Fátima Esmeraldo Ramos de Figueiredo

Resumo


Objetivo: compreender como as mães percebem o processo de amamentação de seu filho prematuro hospitalizado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Método: estudo descritivo-exploratório de abordagem qualitativa, realizado com oito mães em uma cidade do interior do Ceará, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada entre agosto e setembro de 2015. Realizou-se a análise de conteúdo das falas. Resultados: evidenciou-se a percepção da amamentação como importante para a criança no que diz respeito ao crescimento, desenvolvimento e recuperação hospitalar. Dificuldades relacionaram-se à quantidade e ejeção do leite. A realização da ordenha para as mães foi percebida como técnica não similar ao aleitar e geradora de dificuldades. Conclusão: a amamentação ao seio é percebida como uma conquista alcançada pelos esforços conjuntos do binômio mãe e filho.

Descritores: Mães; Prematuro; Aleitamento Materno; Unidades de Terapia Intensiva Neonatal.


Palavras-chave


Mães; Prematuro; Aleitamento Materno; Unidades de Terapia Intensiva

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i2.17246

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.