POSITIVISMO E COMPLEXIDADE: INTERFACES E INFLUÊNCIAS NO CONTEXTO DO ENSINO NA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Raphael Raniere de Oliveira Costa, Soraya Maria de Medeiros, Viviane Euzébia Pereira Santos, Alexsandra Rodrigues Feijão, João Bosco Filho, Marília Souto de Araújo

Resumo


Objetivo: identificar a relação entre as propostas das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem no tocante às competências e habilidades requeridas para a formação do enfermeiro, e as teorias da complexidade e do positivismo. Método: estudo teórico-reflexivo. Resultados: no contexto do ensino e da formação do enfermeiro, a lógica complexa insere-se em razão da necessidade de diálogo entre os diversos saberes. Assim, o positivismo e a teoria da complexidade são visualizados como ideias balizadoras da formação, o que demonstra o fato de que as teorias não se eliminam, mas acabam convivendo e orientando os processos de formação em saúde. Conclusão: a matriz positivista e as características de uma lógica próxima da teoria da complexidade podem ser identificadas nas diversas interfaces do processo formativo do profissional enfermeiro. Por isso, cabe às instituições formadoras, aos docentes e discentes refletir sobre as contribuições de cada corrente.

Descritores: Enfermagem; Ensino de Enfermagem; Docente.


Palavras-chave


Enfermagem; Ensino de Enfermagem; docentes.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i1.17067

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt