ADESÃO DE PACIENTES AO TRATAMENTO COM ANTINEOPLÁSICOS ORAIS: FATORES INFLUENTES

Ana Gabriela Silva, Cissa Azevedo, Luciana Regina Ferreira da Mata, Christiane Inocêncio Vasques

Resumo


Objetivo: avaliar a adesão de pacientes aos tratamentos antineoplásicos orais e identificar os fatores que a influenciam. Método: estudo quantitativo, prospectivo, de delineamento não experimental, realizado entre julho de 2013 e janeiro de 2014, em um hospital oncológico no interior do estado de Minas Gerais, Brasil. Os instrumentos utilizados foram: questionário sociodemográfico e clínico, escala Medida de Adesão ao Tratamento e Questionário dos Fatores que podem Influenciar a Adesão ao Tratamento. Os dados foram submetidos a estatística descritiva e testes de correlação entre variáveis. Resultados: a média de adesão foi de 6,02 ± 0,8 pontos, e seis (4,9%) pacientes se mostraram não aderentes ao tratamento. Os fatores que mais dificultaram a adesão foram: dificuldade para a aquisição do antineoplásico (36,1%) e utilização de muitos medicamentos (14,8%). Conclusão: a taxa de adesão ao uso de antineoplásicos orais é alta, entretanto ainda há muitos fatores que dificultam a adesão e a continuidade do tratamento.


Descritores: Neoplasias; Antineoplásicos; Enfermagem; Aceitação, pelo Paciente, de Cuidados de Saúde.


Palavras-chave


Neoplasias; Antineoplásicos; Enfermagem; Aceitação pelo paciente de cuidados de saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i1.16428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt