UTILIZAÇÃO DO CATETER CENTRAL DE INSERÇÃO PERIFÉRICA EM NEONATOLOGIA

Leonardo Bigolin Jantsch, Eliane Tatsch Neves, Andréa Moreira Arrué, Jaquiele Jaciara Kegler, Cristine Ruviaro de Oliveira

Resumo


Estudo documental quantitativo que objetivou caracterizar a utilização do cateter central de inserção periférica (PICC) em UTI-Neo. A população foi composta por 58 formulários de acompanhamento da utilização do PICC em recém-nascidos (RNs) internados na unidade, durante o período de coleta de dados. Os dados foram coletados e submetidos à análise estatística pelo programa Epi-info na versão 3.5.2. Cerca de, 69% dos RNs que fizeram uso do PICC são prematuros; 40% com peso ao nascer entre 1501 a 2500 gramas. Quanto à indicação de uso do PICC, cita-se a hidratação intravenosa e a administração de nutrição parenteral. A veia mais utilizada para punção foi a safena e a média de dias de utilização do cateter foi de 11,7. A suspensão intravenosa (22,4%) foi o motivo mais citado para a retirada do mesmo. O PICC deve ser inserido no cuidado ao RN em terapia intensiva como tecnologia de humanização da assistência.


Palavras-chave


Enfermagem neonatal; Cateter; Recém-nascido; Terapia intensiva neonatal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v28i3.10109

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

ISSN 2178-8650 (eletrônico)

ISSN 0102-5430 (impresso)  

Licença Creative Commons
A Revista Baiana de Enfermagem utiliza a Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

A Revista Baiana de Enfermagem é membro da Associação Brasileira de Editores Científicos.

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?lng=pt