O CAPITALISMO IMATERIAL E A PRODUÇÃO DE SI, SEGUNDO ANDRÉ GORZ

Willy Gianinazzi

Resumo


Ao analisar a evolução do capitalismo contemporâneo (automação, informatização, globalização), André Gorz sublinha suas consequências sociais (desemprego, precariedade, desigualdades, pobreza). Focando sua análise nas transformações do trabalho (valorização da inteligência e da imaginação) que acompanham essas mutações, ele decifra a emergência de uma inteligência coletiva de que o capitalismo tenta se apropriar, mas que se confunde com a “produção de si”, isto é, com atividades nas quais as faculdades pessoais podem se desenvolver fora do trabalho subordinado. Uma riqueza de novo tipo é criada; ela é qualitativa e fundada nos vínculos sociais de cooperação. A renda básica é concebida como uma âncora existencial transitória, que permite esse salto.

Palavras-chave


André Gorz. Produção de si. Capitalismo cognitivo. Renda básica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/ccrh.v30i81.25600

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Caderno CRH


Centro de Estudos e Pesquisas em Humanidades
FFCH/Universidade Federal da Bahia
Estrada de São Lázaro, 197 - Federação
40.210-730 Salvador, Bahia Brasil
Tel.: (55 71) 3283-5857/3283-5856



ISSN Online 1983-8239     ISSN Impresso 0103-4979

 
 
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.