CARACTERÍSTICAS DE UM MERCADO DE TRABALHO E PARTICIPAÇÃO DO GRUPO FAMILIAR

Iracema Brandão Guimarães

Resumo


 

O trabalho procura situar as relações entre a urbanização, a proletarização e o tamanho e composição das famílias, interpretando-as em função das configurações do mercado de trabalho baiano. As articulações entre o tamanho da família e a economia de subsistência são substituídas por novas articulações entre os encargos da reprodução, o número de componentes e os determinantes sócio-culturais relacionados ao ciclo vital familiar, o que corresponde a um padrão de organização marcado pela redução do número de componentes, a participação de outros membros no mercado de trabalho e modificações na realização das tarefas necessárias à reprodução da vida imediata. Dentro desse quadro, o crescimento do emprego verificado na Bahia torna-se predominante entre os chefes de família e está associado a um aumento da freqüência de famílias pequenas, presentes em frações do proletariado urbano, cuja constituição recente incorpora uma força de trabalho relativamente jovem e que se encontra em etapas iniciais do ciclo de constituição das famílias. Ao lado disso, as famílias maiores são localizadas de modo predominante entre chefes de família que exercem atividades autônomas e encontram-se em faixas etárias mais avançadas.

 

Publicação Online do Caderno CRH:

http://www.cadernocrh.ufba.br


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/ccrh.v4i14.18832

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais


Centro de Estudos e Pesquisas em Humanidades
FFCH/Universidade Federal da Bahia
Estrada de São Lázaro, 197 - Federação
40.210-730 Salvador, Bahia Brasil
Tel.: (55 71) 3283-5857/3283-5856



ISSN Online 1983-8239     ISSN Impresso 0103-4979

 
 
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.