Música e Tecnologia, do Vinil ao MP3 // Music and technology, from vinyl to MP3

Eduardo Paiva

Resumo


As diversas tecnologias ligadas aos processos de gravação sonora, passaram, a partir dos anos 60, a ser compreendidos como “meios expressivos” capazes de permitir o surgimentos de novas linguagens e procedimentos ligados a criação musical. Ao abandonar seu papel de suporte, a tecnologia, principalmente a partir dos sistemas digitais dos anos 90, traz uma grande série de novas indagações aos processos de criação, registro e duplicação da obra musical, onde diversos conceitos devem ser repensados e reconfigurados. E, com a popularização da Web a partir do final dos anos 90, e a consequente circulação da obra sonora desvinculada de qualquer relação com os suportes físicos, tem-se hoje uma nova indústria, novos processos de criação e toda uma nova abordagem das questões ligadas as relações entre música e tecnologia. Finalizando, a tecnologia é um elemento importante na construção da singularidade sonora, algo imprescindível na música popular e em alguns casos específicos da música erudita, como as gravações de Glenn Gould. Portanto, é necessário ter uma visão clara deste processo desde os discos de vinil até as possibilidades digitais da atualidade, e compreender a tecnologia como um dos mais importantes “meios expressivos” da criação sonora.

Palavras-chave


tecnologia e criação sonora; música e tecnologia; gravação sonora

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1809-9386contemporanea.v10i1.5796