A divulgação científica e o período eleitoral brasileiro: reflexões preliminares

Diego Andres Salcedo

Resumo


Transmitir conhecimentos produzidos nas instituições de pesquisa é um ato comunicacional inerente ao processo científico, é difundir informações científicas para que a comunidade acadêmica possa desenvolver e aprofundar esses conhecimentos - disseminação, mas, além disso, que a sociedade tome ciência do papel desses conhecimentos na melhoria de sua qualidade de vida - divulgação. Nesse sentido, tanto a disseminação quanto a divulgação científicas são práticas comunicativas relevantes para essa difusão. Este artigo discute essas práticas comunicativas e seu papel na atual realidade brasileira. Para isso, parte-se do pressuposto que a divulgação da ciência em programas telejornalísticos brasileiros pode construir uma cultura de assimilação da informação científica por parte dos telespectadores. Como problema de reflexão, colocamos em xeque essa prática de divulgação em detrimento da veiculação maciça de recorrências temáticas relacionadas às crises no governo vigente e às eleições presidenciais. A partir desse contexto, a natureza deste trabalho é a reflexão crítica sobre o processo de divulgação de saberes científicos diante da presença maciça de temáticas político-eleitorais. Os objetos nesta discussão é a prática de divulgação científica no telejornalismo, assim como o debate eleitoral veiculado pelos telejornais. O procedimento pode ser caracterizado como um trabalho de revisão bibliográfica, mas também de campo, em que o principal instrumento foi a observação sistemática dos telejornais. Este trabalho é uma continuação de estudos que vêm sendo realizados pelo grupo de pesquisa Mídia e Divulgação da Ciência e Tecnologia, vinculado à CAPES.

Palavras-chave


ciência; divulgação científica; telejornalismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1809-9386contemporanea.v8i1.4002