NOVOS ‘ARRANJOS ECONÔMICOS’ ALTERNATIVOS PARA A PRODUÇÃO JORNALÍSTICA // NEW ALTERNATIVE ‘ECONOMIC ARRANGEMENTS’ FOR JOURNALISTIC PRODUCTION

Roseli Figaro, Claudia Nonato

Resumo


Pesquisas realizadas no Brasil sobre o trabalho do jornalista mostram o perfil dos profissionais. Jovens, mulheres, multiplataformas, com vínculos precários de trabalho, baixos salários e sem condições editoriais de realizarem jornalismo independente. A tecnologia digital, móvel e conectada em rede, ao mesmo tempo que densifica o trabalho e a exploração do jornalista, devido às formas como têm sido apropriada pela lógica do Capital, provoca mudanças ao abrir possibilidades para o trabalho jornalístico em “novos arranjos econômicos” alternativos aos conglomerados de mídia. Este artigo trata desses dois aspectos: analisa, a partir dos resultados de pesquisas anteriores, as dificuldades do trabalho do jornalista; e apresenta e justifica a necessidade de nova pesquisa, em andamento, sobre o trabalho do jornalista em “novos arranjos alternativos” aos conglomerados de mídias.

Palavras-chave


mundo do trabalho do jornalista, comunicação e trabalho, arranjos econômicos alternativos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1809-9386contemporanea.v15i1.21451