A banalização da vida, suas conseqüências e seus condicionantes

Celma Borges Gomes

Resumo


Este artigo se divide em uma introdução e três partes. A primeira parte analisa os dados sobre a violência como problema de saúde pública a partir de três perspectivas: as mortes por causas violentas, a violência praticada contra crianças e adolescentes e a por eles próprios cometida. A segunda parte discute os condicionantes da violência, abordando as transformações da sociedade brasileira, com ênfase na precarização das condições socioeconômicas da população, no aumento das desigualdades, no crescimento demográfico nos centros urbanos e no aumento da tensão social. Refere-se às mudanças na estrutura e dinâmica da família, à desestruturação das escolas, às influências dos meios de comunicação de massas e da Internet na formação de novos valores, atitudes e hábitos no cotidiano de grandes contingentes humanos, à questão do aumento da criminalidade, do tráfico e do uso de drogas associados à questão da justiça. A terceira associa estes condicionantes às próprias vivências das pessoas num cotidiano de crescente banalização da vida, apresentando conclusões e sugestões.

Palavras-chave


Violência - Formas e práticas; Violência - Condicionantes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cmbio.v3i1.4414

CAPESCAPES-PERIODICOS CNPq BVS FAPESB UFBA ICS PPORGSISTEM

ISSN(impresso): 1677-5090 / ISSN(eletrônico): 2236-5222