A biocompatibilidade dos materiais pode ser avaliada através dos mastócitos?

Marcondes Queiroz Oliveira, Moysés Sadigursky

Resumo


O objetivo do trabalho foi estudar a participação dos mastócitos nos processos de cura de feridas, considerando a sua presença na composição dos critérios de avaliação e interpretação das respostas teciduais de biocompatibilidade. A atividade experimental foi realizada usando-se quarenta Rattus norvegicus albinus, divididos aleatoriamente em quatro grupos (1, 2, 3 e 4) para avaliação em vinte e quatro horas, uma, duas e três semanas, respectivamente. Cada animal serviu para os grupos experimentais (região dorsocefálica), onde foi implantada uma membrana biocompatível no tecido conjuntivo subcutâneo e controles sham (região dorsocaudal), onde o tecido conjuntivo foi somente manuseado. Os resultados evidenciaram que, nos grupos experimentais, a quantidade de mastócitos nos tecidos foi menor do que nos respectivos grupos sham. Entretanto, a comparação do número dessas células não revelou significância estatística. Os valores estatísticos encontrados para um valor de p=0,05, usando o teste ”t” de Student, ao se comparar cada grupo experimental com o seu respectivo sham, foram: grupo 1 (p=0,218), grupo 2 (p=0,421), grupo 3 (p=0,116) e grupo 4 (p=0,668), portanto, não significante estatisticamente. Os valores entre as grupos sham de vinte e quatro horas e experimental de três semanas foi p=0,014 e, entre o grupo experimental de vinte e quatro horas e o sham de 3 semanas, foi p=0,001. A conclusão é que a presença de mastócitos nas áreas adjacentes à membrana sugere uma resposta de aceitação. Entretanto, novas investigações devem ser realizadas para se esclarecer a viabilidade da inclusão dessas células nos testes secundários de biocompatibilidade.

Palavras-chave


mastócitos; biocompatibilidade; membrana da casca de ovo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cmbio.v7i1.4355

Direitos autorais

CAPESCAPES-PERIODICOS CNPq BVS FAPESB UFBA ICS PPORGSISTEM

ISSN(impresso): 1677-5090 / ISSN(eletrônico): 2236-5222