A Ordem Pública e as Masculinidades Negras: o controle objetivo e subjetivo do homem negro

Igor Carvalho da Silva Rocha

Resumo


O tema deste artigo é a correspondência entre os mecanismos de controle social e o conceito de raça, enquanto construção sócio-política, e seu objeto é a utilização do direito, mais precisamente do conceito de ordem pública como mecanismo de controle dos corpos negros. O estudo do conceito de ordem pública como instrumento de controle, objetivo e subjetivo, dos corpos negros parte dos pressupostos foucaltianos de que ordem pública é uma norma, pois em sua aplicação esta induz comportamentos, moldando subjetividades e identidades. Nessa perspectiva, esta pesquisa se valeu de entrevistas realizadas com jovens negros, para analisar como suas subjetividades são impactadas por discursos estatais que, ao marcarem estes corpos com o estigma da periculosidade, conferem autorização para que estes sejam mortos, servindo a dor negra para acautelar o meio social e resguardar uma ordem pública que tem na antinegritude sua dimensão permanente.


Palavras-chave


Raça, Gênero, Sexualidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cgd.v5i2.29618



Direitos autorais 2019 Cadernos de Gênero e Diversidade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Cadernos GenDiv, Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2525-6904

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.