Pensamento Lésbico e Formação da Crítica Queer of Color

Caterina Alessandra Rea

Resumo


Este texto entende refletir sobre as contribuições de autoras lésbicas para a produção da Teoria Queer e, particularmente, da Crítica Queer de cor (Queer of Color Critique). Partindo da consideração de Randy Conner para quem Gloria Anzaldúa foi a primeira a usar o termo queer no contexto da escrita acadêmica, podemos considerar uma outra gênese de Queer, no campo das produções de autoras lésbicas não-brancas. Mostraremos que a crítica Queer of Color tematiza, hoje, a importância de coletivos lésbicos de cor e a maneira em que esses questionam as políticas LGBT meanstream, particularmente, nos países centrais. A chegada da teoria queer para o continente africano, também, revela o protagonismo de mulheres lésbicas acadêmicas e ativistas.


Palavras-chave


Crítica Queer of Color, Interseccionalidade, Pensamento Lésbico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cgd.v4i2.26201



Direitos autorais 2018 Cadernos de Gênero e Diversidade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.