A Violência Psicológica Contra a Mulher: Reconhecimento e Visibilidade

Gabriela Bothrel Echeverria

Resumo


No Brasil, segundo o Data Senado (2013) cerca de 38% das mulheres afirmam ter sofrido violência psicológica. Assim, este trabalho tem como objetivo de discutir a compreensão de estudantes do curso de Direito sobre a violência psicológica contra a mulher, analisando de que forma estão se preparando para lidar com tal demanda de trabalho e se há, por parte destes estudantes e futuros profissionais, o reconhecimento da violência psicológica como precedente de outras formas de violência. Utilizamos de um questionário online sobre a percepção dos tipos de violência e noções jurídicas sobre a Lei Maria da Penha, utilizada como arcabouço teórico da discussão. Os resultados apontam que embora a temática venha ganhando importância, uma grande parcela dos estudantes não soube tipificar a violência psicológica. Nota-se que não basta explicar o significado deste tipo de violência, se não houver um aparato jurídico claro e objetivo de como proceder e as quais outros profissionais recorrer. Cabe à psicologia promover ações interdisciplinares fomentando tal discussão e possibilitando a construção de novos espaços de discussão e de construção/efetivação de uma rede integrada de saberes para suporte para as mulheres vítimas de violência, e para discutir a tipificação no âmbito jurídico da violência psicológica.

Palavras-chave


Violência psicológica, Invisibilidade, Lei Maria da Penha

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cgd.v4i1.25651



Direitos autorais 2018 Cadernos de Gênero e Diversidade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 Cadernos GenDiv, Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2525-6904

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.