Exposições Queer: Contextos Mundiais e Locais

Rosa María Blanca

Resumo


O presente artigo possui como principal objetivo problematizar as exposições que partem de uma perspectiva queer para a sua curadoria, organização e configuração. Utiliza-se uma metodologia genealógica, com a finalidade de pesquisar como surge ou qual é a lógica da configuração da mostra e como é usada a noção do queer no contexto cultural de determinadas exposições. Analisam-se as principais mostras que tem tido lugar na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil. Enfatizam-se as edições da Exposição Internacional de Arte e Gênero, 2014 e 2017 (Museu de Arqueologia e Etnologia), e a mostra Trânsitos (Des)Identitários, 2016 (Sala Cláudio Carriconde).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cgd.v3i3.23653



Direitos autorais 2017 Cadernos de Gênero e Diversidade

 Cadernos GenDiv, Salvador, BA, Brasil. e-ISSN: 2525-6904

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.