83 O embate de Orfeu e Narciso contra Prometeu: a relação entre renúncia e satisfação instintual na obra de Marcuse

Cristian Arão Silva de Jesus

Resumo


Ao examinar a dinâmica do processo civilizatório, Marcuse percebe que certos
valores se constituíram como dominantes da cultura ocidental. Por outro lado, existiriam outros conjuntos de valores que foram subjugados ao longo da história, mas que poderiam tornar a vida humana mais harmoniosa e prazerosa. Para representar tais projetos de civilização, Marcuse se vale de referenciais mitológicos. Prometeu seria o representante dos valores presentes na civilização ocidental. O titã representaria o sacrifício, a abnegação e até mesmo o amor à labuta. Do lado oposto estariam Orfeu e Narciso, que seriam as imagens da fruição e da liberdade. Neste artigo pretende-se analisar a crítica de Marcuse à cultura prometéica e a sua
proposição de uma cultura órfico-narcisista.


Texto completo:

PDF

Referências


MARCUSE, Herbert. Eros e civilização. Rio de Janeiro: Zahar editores,

_____. A ideologia da sociedade industrial. Rio de Janeiro: Zahar

editores, 1973.

_____. Cultura e Psicanálise. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

BRANDÃO, Junito Souza de. Mitologia Grega Vol. 1. São Paulo: Vozes,

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. São Paulo: Penguin

Classics Companhia das Letras, 2011.

FREUD, Sigmund. Totem e Tabu - Obras completas Vol. 11. São

Paulo: Companhia das Letras, 2012a.

______. Moisés e o monoteísmo, esboço de psicanálise e outros

trabalhos. São Paulo: Imago, 2006.

______. História de uma neurose infantil (“o homem dos lobos”),

além do princípio de prazer e outros textos. São Paulo: Companhia

das letras, 2012b.

KANGUSSU, Imakulada. Leis da Liberdade - A Relação Entre Estética

e Política na Obra de Herbert Marcuse. São Paulo: Loyola, 2006.

LOUREIRO, Isabel. Herbert Marcuse, crítico do capitalismo tardio:

reificação e unidimensionalidade in: ALMEIDA, Jorge de; BADER,

Wolfgang (org.). Pensamento alemão no século XX. São Paulo: Cosac

Naif, 2009.

NOBRE, Marcos (Org.). Curso Livre de Teoria Crítica. Campinas SP:

Papirus Editora, 2008.

REPA, Luiz; TERRA, Ricardo. Dossiê Teoria Crítica. Cad. CRH.,

Salvador: n. 62, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.