A intuição proposta por Bergson e sua contribuição para o ensino de Filosofia

Paulo Deimison Brito dos Santos

Resumo


Este artigo tem como objeto o método intuitivo proposto por Bergson (1859-1941) e sua possível contribuição para o ensino de Filosofia na educação básica. Lembramos, pois, que o método intuitivo sugerido pelo filósofo se dirige à apreensão da realidade em seu devir. Tal método busca investigar os conhecimentos apreendidos pelas ciências e pela Filosofia. Desse modo, Bergson propõe reflexão sobre o conceito e sua validade prática e intelectual. Nesse sentido, consideramos o método intuitivo auxiliar no processo de ensino dos conhecimentos filosóficos. Dessa maneira, o dialogo entre a intuição e sua possível contribuição para o ensino
de Filosofia promove a discussão sobre uma aprendizagem significativa para os estudantes.


Texto completo:

PDF

Referências


BERGSON, H. A evolução criadora. Trad. Bento Prado Neto. São

Paulo: Martins Fontes, 2005.

_______. Textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 2005. (Coleção

os Pensadores).

DELEUZE, G. Bergsonismo. Trad. de Luiz B. L. Orlandi. São Paulo:

Editora 34, 1999 (Coleção TRANS).

MONTEIRO, G. A Medida do Tempo: Intuição e Inteligência em

Bergson. Salvador: Ed. Quarteto, 2012. (Coleção Empiria).

SANTOS PINTO, T. J. A crítica bergsoniana ao método filosófico

tradicional – repercussões epistemológicas, éticas e educacionais.

In: Poiésis – revista do programa de pós-graduação em educação –

mestrado – universidade do sul de Santa Catarina. Unisul, tubarão,

número especial: biopolítica, educação e filosofia, p. 39-52.

REVISAN, R. M. Bergson e a Educação. Piracicaba: Editora Unimep,

WORMS, F. Bergson ou os dois sentidos da vida. São Paulo: Editora

Unifesp, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.