A teoria da justiça de Rawls: Pragmatista, não metafísica

Line Lobo

Resumo


A obra e o pensamento do filósofo norte-americano John
Rawls representam um marco na filosofia política contemporânea.
Num período marcado por um contexto intelectual destituído de
contribuições teóricas verdadeiramente originais, Rawls publica Uma
Teoria da Justiça (RAWLS, 2002), em 1971, e assim inaugura o renascimento
da filosofia política normativa. Seu pensamento estabelece um novo
paradigma para a filosofia política, e promove uma renovação significativa
da mesma ao reacender a discussão sobre o ideal de uma sociedade justa
e igualitária, com a sua concepção de justiça como equidade...


Texto completo:

PDF

Referências


RAWLS, John. Uma teoria da justiça. 3ª Ed. – São Paulo:Martins

Fontes, 2008.

____________. Teoria da justiça como equidade: política, não

metafísica. In Justiça e Democracia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

RORTY, Richard. A prioridade da democracia para a Filosofia. In

Objetivismo, relativismo e verdade. Rio de Janeiro: Relume-Dumará,

,

__________. Filosofia como Política Cultural. São Paulo: Martins Fontes, 2009

__________. Pragmatismo: a filosofia da criação e da mudança. Belo

Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

AUDARD, Catherine. Robert Taylor. Reconstructing Rawls: The

Kantian Foundations of Justice as Fairness. Pennsylvania State University

Press, 2011.

FERRY, Jean-Marc. Filosofia da comunicação: da antinomia da verdade

à fundação última da razão; justiça política e democracia procedimental.

São Paulo: Paulus, 2007.

FORST, Rainer. Contextos da justiça: filosofia política para além de

liberalismo e comunitarismo. São Paulo: Boitempo, 2010.

GARGARELLA, Roberto. As teorias da justiça depois de Rawls: um breve

manual de filosofia política. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

SHAPIRO, Ian. Os fundamentos morais da política. São Paulo: Martins

Fontes, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.